Ashoka está com processo de busca e reconhecimento aberto para 2019

Entenda como funciona e conheça as empreendedoras e empreendedores sociais reconhecidas em 2018

Todo ano a Ashoka realiza um processo meticuloso de busca e reconhecimento das pessoas mais inovadoras no Brasil. São cerca de seis a nove meses de entrevistas, visitas a campo e pesquisas profundas com a comunidade para identificar o impacto causado pelos candidatos(as) a empreeendor(a) social Ashoka. Nossos critérios de seleção são baseados em cinco pilares: criatividade, originalidade, perfil empreendedor, fibra ética e impacto social.

 

Este mapeamento está no cerne da criação da Ashoka Global desde 1980 e, apesar de hoje a ONG também atuar em outras frentes, com iniciativas de primeira infância e juventude, foi esse movimento que cunhou o que hoje podemos chamar de campo de inovação e empreendedorismo social no mundo, que compreende uma comunidade com cerca de 3.500 pessoas inovadoras espalhadas ao redor de mais de 90 países.

 

No primeiro semestre de 2018, quatro pessoas transformadoras entraram para a rede: Natalia Viana, Raquel Rosemberg, Diane Sousa e Sérgio Sarapião. O processo de busca e reconhecimento do ano foi finalizado em novembro, o que culminou na entrada de mais duas novas empreendedoras para a nossa comunidade, compondo o que hoje representa 385 empreendedoras e empreendedores sociais no território.

 

Conheça aqui a história das novas integrantes da nossa rede: Elisa Costa, fundadora da MKS/Brasil, principal líder da comunidade cigana no Brasil, e Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta, que busca o empoderamento e desenvolvimento econômico das comunidades afrodescendentes no país. Você também pode conferir aqui como foi a cerimônia de celebração, realizada no dia 09 de novembro, no ColaborAmérica (RJ).


O processo de seleção para empreendedoras e empreendedores sociais da Ashoka para o próximo ano já está aberto. Entre em contato com a Ashoka e indique uma pessoa transformadora para fazer parte da nossa rede!